Saiba tudo sobre Cardano: a terceira geração da tecnologia blockchain

Se você conhece um pouco do mundo cripto, provavelmente já ouviu falar em blockchain. A tecnologia blockchain ainda não alcançou uma adoção ampla na nossa sociedade, mas vem crescendo desde o seu nascimento em 2008.

De lá para cá, desenvolvedores já passaram da construção de blockchains de primeira geração para as de segunda e terceira geração.

O Ethereum, uma blockchain de segunda geração, foi construído para resolver problemas de escalabilidade do Bitcoin, que é uma blockchain de primeira geração.

Além de realizar transações financeiras, o Ethereum permite aos desenvolvedores a capacidade de experimentar código e construir aplicativos descentralizados (DApps). 

Agora, uma terceira geração de blockchains surgiu e um dos principais nomes é a Cardano. Seus desenvolvedores prometem resolver problemas anteriores usando métodos científicos. Siga lendo este artigo e descubra o que torna a Cardano diferente das  gerações anteriores de blockchain. 

 

O que é Cardano 

Cardano é uma plataforma blockchain descentralizada de terceira geração criada para melhorar a escalabilidade, a interoperabilidade e a sustentabilidade das blockchains atuais.

A Cardano cria contratos inteligentes, semelhante ao Ethereum, com foco em segurança através de uma arquitetura em camadas. 

Além disso, o projeto é o primeiro de seu tipo a usar a ciência para basear as pesquisas acadêmicas revisadas por pares. 

O ecossistema Cardano já possui diversos projetos funcionando na rede e outros estão sendo criados.

Atual ecossistema na plataforma Cardano. Cardano Ecosystem Map (poolg.de)

 

Cardano e a ciência 

Falar da história da cardano é falar em ciência. Inclusive, o nome do projeto foi escolhido para homenagear Gerolamo Cardano, cientista italiano do século XVI. 

O projeto Cardano começou em 2015 e foi lançado em 2017 por Charles Hoskinson, co-fundador do Ethereum. Três entidades separadas supervisionam o desenvolvimento de Cardano: IOG (Input Output Global), responsável pelo desenvolvimento tecnológico da plataforma; Fundação Cardano, com sede na Suíça, é responsável por comercializar, formar parcerias e ampliar a presença global da plataforma e Emurgo, empresa independente, que ajuda a financiar desenvolvedores, empresas e startups que buscam contribuir para o ecossistema cardano.

A rede da Cardano foi desenvolvida em chamadas “eras”, que são fases de sua história focadas no desenvolvimento de funcionalidades. O roteiro de desenvolvimento da Cardano consiste nas seguintes etapas: Byron, Shelley, Goguen, Basho e Voltaire. 

Byron, a primeira fase marcou o lançamento da rede em 2017 com funcionalidades básicas, suportando apenas transações ADA. 

A segunda fase ocorreu com o hard fork Shelly em julho de 2020 e melhorou a descentralização da rede. A partir desta atualização, os nós passaram a ser operados pela comunidade Cardano, com pools de stake (participação) administrados por detentores de ADA. 

O terceiro estágio, Goguen, ocorreu com a atualização do hard fork Alonzo em 12 de setembro de 2021. Alonzo possui as seguintes fases: azul, branco, roxo, preto, e vermelho.

A cada fase do Alonzo aumenta o número de participantes e são adicionadas funcionalidades. Também são utilizadas para identificar e corrigir bugs.

Os estágios finais são Basho, que tem como foco a implementação de scaling para otimizar e melhorar o desempenho da blockchain, e Voltaire, que trata da governança em cadeia, para sistemas de tesouraria e votação.

Cada fase passa por uma variedade de processos e pesquisas científicas antes de ser integrada a Cardano. E, seguindo sobre as curiosas homenagens de Cardano, os nomes das fases são em homenagem a poetas ingleses famosos. 

 

Como funciona a estrutura da Cardano? 

Como você já sabe, Cardano foi a primeira  plataforma a ser desenvolvida através da ciência. O blockchain Cardano foi projetado por acadêmicos de engenharia e criptografia, construídos inteiramente com propósitos científicos e matemáticos.

E, ao contrário de outras blockchains, Cardano possui uma arquitetura de duas camadas.

Camada de Liquidação Cardano (CSL)

A Camada de Liquidação Cardano (CSL, Cardano Settlement Layer) atua como um livro de saldo e é a primeira camada da plataforma. Ela funciona como uma unidade de conta, onde os detentores de ADA podem enviar e receber tokens com taxas muito pequenas e instantaneamente. Em suma, a camada de liquidação permite que os usuários enviem e recebam tokens ADA, de uma carteira para outra. Ele usa um método semelhante que é implantado pelo Ethereum.

Camada de Computação Cardano (CCL)

A Camada de Computação Cardano (CCL) é a segunda camada da plataforma e contém informações sobre as transações que estão ocorrendo. O CCL é uma série de protocolos nos quais o blockchain opera. Esses protocolos são responsáveis pela execução de contratos inteligentes e verificação da segurança e conformidade.

 

Ouroboros

O Proof-of-work (PoW) é a maneira das gerações anteriores de blockchain minerar Ethereum, Bitcoin, Dash e algumas outras criptomoedas. 

O blockchain Cardano opera usando um mecanismo de consenso de prova de participação, ou Proof-of-Stake (PoS), Ouroboros para descobrir novos blocos e adicionar dados de transações à blockchain.

O Proof-of-Stake é uma alternativa mais ecológica para redes blockchain em geral, pois não requer hashing de moeda bruta (o processo de mineração). Ao usar o sistema PoS, o desenvolvimento da blockchain não depende do hardware.

Para fazer o staking do token da Cardano ADA você precisa manter seu ADA em uma carteira com suporte da Cardano. O processo de Proof-of-Stake usa o ADA já existente para confirmar transações de Cardano – em vez de minerar usando hardware para gerar os ativos. E quanto mais moedas você bloqueia, mais você recebe.

Para criar novos blocos, Ouroboros utiliza um sistema de tempo chamado “épocas”, no qual cada época consiste em vários slots, onde cada slot dura um segundo. Uma época Cardano inclui atualmente 432.000 slots (5 dias). Em qualquer slot, produtores de blocos podem ser nomeados para ser o líder do slot. Em média, espera-se que um nó seja nomeado a cada 20 segundos, para um total de 21.600 nomeações por época. Se os líderes de slots escolhidos aleatoriamente produzirem blocos, um deles será adicionado à cadeia. Outros blocos candidatos serão descartados.

Quando uma época termina, a próxima começa imediatamente. Daí o nome Ouroboros, símbolo milenar que representa o conceito da eternidade, através da figura de uma serpente (ou dragão) que morde a própria cauda.

Cardano está sendo desenvolvido usando a linguagem de programação Haskell, que permite um design mais flexível dos contratos inteligentes na plataforma.

 

ADA: a criptomoeda da rede Cardano

A ADA é a moeda digital nativa da Cardano. Diferentemente da maioria dos tokens, que recebem nomes abreviados de seus projetos (Ethereum/ETHER/, Uniswap/UNI, Polkadote/DOTE, e por aí vai), Cardano decidiu fazer mais uma homenagem, desta vez a primeira programadora de computador no século XIX, Ada Lovelace.

Mas, tirando essas curiosidades, assim como outras criptomoedas, a ADA também armazena valor e recebe fundos. Além disso, pode ser usada como participação na plataforma blockchain Cardano para ajudar a verificar transações.

Carteira Daedulos

Outra particularidade: a ADA é armazenada em sua própria carteira, conhecida como carteira Daedalus – sim, Dédalos, arquiteto, artesão e visionário da mitologia grega. 

A carteira Daedalus é uma carteira de código aberto e permite que os usuários executem um nó blockchain completo, dando-lhes controle total sobre seus fundos e a capacidade de garantir transparência sobre a blockchain Cardano.

Taxas de Cardano

As taxas de ADA são mais baixas que as do blockchain do ETH e suas variações são determinadas pela seguinte equação: a + b * tamanho.

a = uma constante atualmente 0,155381 ADA

b = corrente constante igual a 0,000043946 ADA / byte

tamanho = Tamanho da transação em bytes

De maneira simples, ‘a’ e ‘b’ são constantes e ‘tamanho’ é o volume da transação em bytes. 

As taxas de transação de cada época são coletadas em um pool e distribuídas aos correspondentes líderes de caça-níqueis. 

 

Futuro da Cardano

Cardano, desde sua criação, demonstrou em todas as suas fases o desejo de desenvolvimento e a aprimoração, mirando o futuro do mercado cripto – que também é constante. 

Durante a conferência Cardano Summit 2021, Charles Hoskinson declarou sobre o futuro: “Estamos montando em uma tartaruga voadora gigante”. Hoskinson não nega percalços no cronograma do projeto, mas sinaliza sua crença no tamanho  e relevância da Cardano. 

Cardano viu sua moeda ADA aumentar 1.840% no acumulado dos últimos 12 meses, até setembro de 2021. Embora tenha descido depois disso, a ADA é a quarta colocada em valor de mercado com US$ 71.236.801.143. 

Gráfico ADA/USDT no VectorPro

Ainda, no evento Cardano Summit, Hoskinson revelou novos projetos, como a emissão de uma nova stablecoin, a Dje, em parceria com a empresa de desenvolvimento de software COTI. Ou seja, novos voos para a tartaruga Cardano. 

O preço da ADA varia de acordo com sua demanda e popularidade. No momento em que este artigo é escrito, seu valor unitário é de US$ 2,16, com volume de negociação em 24 horas de  US$ 2.651.821,215. Para informações atualizadas em tempo real, você pode acessar o site da Cardano. 

 

Pronto para negociar? 

Agora entendendo tudo sobre Cardano e a sua busca por encontrar melhores resultados para o mundo das finanças descentralizadas através da ciência, você poderá negociar os tokens ADA nas maiores exchanges de criptomoedas do mundo.

Se você gostou desse artigo e quer analisar com mais profundidade os principais indicadores técnicos e dados Cardano, conheça o Vector Pro e tenha à disposição as ferramentas mais avançadas de negociação e análise do mercado de criptomoedas!