Derivativos de criptomoedas
Derivativos de criptomoedas

O que são Derivativos de Criptomoedas? Entenda as principais características desse mercado que não para de crescer

Essa modalidade de trading possibilita um controle maior sobre a negociação e especulação de ativos digitais

O nascimento das finanças descentralizadas e as negociações de ativos digitais desenvolvidos em Blockchain remodelou o mercado de criptomoedas nos últimos anos. As plataformas DeFi ampliaram a gama de opções de negociação de moedas digitais, como empréstimos de cripto, tokenização de ativos tradicionais e a introdução dos derivativos de criptomoedas.

Desde que a Chicago Board Options Exchange (CBOE) e a Chicago Mercantile Exchange (CME) lançaram a negociação de Futuros de Bitcoin em sua plataforma, há um crescente interesse nessa modalidade de trading que passou a ser oferecido nas maiores cripto exchanges do mercado.
Então, o que são derivativos e qual é a razão do crescimento exponencial dessa modalidade? Continue conosco, pois nesse artigo você irá aprender tudo sobre os derivativos de criptomoedas.

O que são derivativos?

Os derivativo são contratos financeiros entre duas ou mais partes, com base no preço futuro de um ativo subjacente. O ativo subjacente, também conhecidos como underlying, é um termo utilizado no mercado financeiro para designar ativos nos quais o preço de um derivativo é baseado. Os derivativos financeiros são muito discutidos quando se trata do mercado de criptomoedas, especialmente no que diz respeito aos contratos futuros para Bitcoin e altcoins.

Essa modalidade passou por diversos aprimoramentos até se tornar uma das ferramentas financeiras mais populares do mercado. Hoje em dia, um derivativo é entendido como um título que deriva seu valor de um ativo subjacente, com contratos firmados entre duas ou mais partes, que queiram comprar ou vender um determinado ativo por um preço específico no futuro.

A negociação de derivativos também funciona como uma importante ferramenta de gestão de risco, sendo comumente utilizada como uma forma de proteção contra a alta volatilidade dos criptoativos, sendo usadas para travar os preços e evitar que movimentos bruscos do mercado se transformem em perdas significativas para o trader. Essa prática é conhecida como hedge, cujo objetivo é proteger um investimento ou ativo contra possíveis perdas e assegurar o valor de uma dívida que será paga apenas no futuro.

Qual a diferença entre o mercado à vista e derivativos?

O mercado à vista de Bitcoin permite que os traders negociem criptomoedas a qualquer momento, porém, com certas limitações. Por exemplo, investidores lucram somente quando o preço do Bitcoin sobe. Se o preço cair, os detentores de BTC sofrerão uma perda.

Mesmo aqueles que venderam no início de uma queda significativa e pretendem comprar durante a baixa do mercado, precisam aguardar até que os preços subam novamente. Caso isso não aconteça, então não há como lucrar. Outra característica do mercado à vista é o incentivo ao hold dos ativos sobre os quais você deseja especular. Ao comparar a negociação de derivativos e com o mercado à vista, podemos destacar os seguintes pontos:

  • No mercado à vista, os traders armazenam, compram e vendem o Bitcoin, tudo registrado no Blockchain. No mercado de derivativos, os investidores negociam contratos de Bitcoin, sem realmente deter o BTC. Esses contratos podem ser futuros, perpetuals swaps e opções.
  • No mercado à vista, um trader pode comprar um ativo digital ao valor de mercado. Entretanto, as negociações de derivativos ocorrem quando um comprador de um contrato futuro é obrigado a comprar e receber o ativo subjacente do vendedor, sempre que o contrato futuro expirar. Nessas condições, o comprador e os vendedores devem negociar o ativo a um preço pré-determinado no futuro. Mas dependendo do mercado, como as criptomoedas, por exemplo, o preço do ativo subjacente pode flutuar, beneficiando uma das duas partes vinculadas pelo contrato de derivativos.
  • A maioria dos tradings do mercado à vista são liquidados em alguns dias, no caso de swing trade. A negociação de derivativos, ao contrário, envolve a liquidação em uma data pré-definida. A maioria dos tradings de derivativos de criptomoedas é realizado com stablecoins ou moedas fiat, na data de vencimento do contrato.

Em resumo, o mercado à vista trabalha com períodos curtos, enquanto que os derivativos se concentram no longo prazo.

Por que negociar derivativos de criptomoedas?

Como dissemos anteriormente, os derivativos geralmente são utilizados como uma forma de prevenção de riscos, mas há uma outra forma de negociação de derivativos muito comum no mercado: a especulação. Essa sistema de negociação permite que os traders especulem hoje, sobre os preços futuros das criptomoedas, sem necessariamente ter comprado o ativo subjacente. Isto significa que o trader não precisa investir altos valores para se expor ao mercado.

Por exemplo, um trader que negociou uma opção de compra de Bitcoin com o contrato estabelecido para janeiro de 2021, no valor fixado de US$ 30 mil, especulou que o preço da criptomoeda mais famosa do mundo iria superar esse valor, com o objetivo de receber a diferença positiva entre o preço real e o preço fixado. Nesse caso, o trader acertou sua previsão, já que o preço do Bitcoin alcançou o valor de US$ 40 mil.

Chart Trading: gráfico do par BTC/USDT em Janeiro de 2021
Chart Trading: gráfico do par BTC/USDT em Janeiro de 2021

Diversos analistas atribuem o crescimento do mercado de derivativos de criptomoedas ao interesse de investidores institucionais. A entrada de fundos de investimentos e aportes milionários de instituições bancárias, avalizam esse novo sistema para a entrada de big players do mercado financeiro tradicional.

Há diversos tipos de derivativos que podem ser usados para a gestão de risco, especulação ou para alavancagem de posição. O mercado de derivativos de criptomoedas está em pleno crescimento e oferece produtos que se adaptam a praticamente qualquer necessidade ou tomada de risco. Antes de iniciar as negociações, é necessário estar atento aos seguintes pontos:

  • A negociação de derivativos de criptomoedas é de alto risco. Investidores com capital limitado ou baixa tolerância a riscos, devem estudar profundamente esse mercado antes de se arriscarem.
  • As negociações de derivativos dependem da capacidade de leitura do mercado, portanto, é necessário ter uma boa compreensão sobre análise técnica e fundamentalista.

Os derivativos, em geral, são negociados sob a forma de contratos padronizados, isto é, previamente especificados, como a quantidade, prazo de liquidação e a cotação do ativo subjacente. Os tipos de derivativos de criptomoedas mais populares do mercado são os Contratos Futuros, Forwards (Termo), Opções e Perpetual Swaps. Entenda as principais características de cada um deles abaixo.

Contratos Futuros de Bitcoin

Essa modalidade é a mais popular do mercado de criptomoedas, pois ela permite a especulação a longo prazo do preço do Bitcoin, sem que você realmente possua Bitcoin em sua carteira. Os futuros de Bitcoin são contratos nos quais os compradores e vendedores negociam Bitcoins a um preço pré-fixado, em uma data futura, independente da cotação atual.

Os contratos futuros são mais do que uma mera especulação – eles também apresentam uma valiosa oportunidade de hedge, conforme explicado anteriormente. Na prática, os traders do mercado à vista se previnem contra os riscos da volatilidade ao se posicionarem em contratos futuros de Bitcoin.

Ao contrário do mercado à vista, os derivativos de criptomoedas fazem uso de alavancagem, permitindo que os traders tomem capital emprestado para financiarem um contrato futuro. A alavancagem é normalmente utilizada para financiar uma posição maior, sem a necessidade de uma participação acionária.

O ponto chave dos futuros de Bitcoin é a possibilidade de negociação em bolsas regulamentadas, como a Chicago Board Options Exchange (CBOE) e a Chicago Mercantile Exchange (CME), que atraem a atenção de investidores institucionais.

Contratos Forwards

Os contratos forwards – conhecidos como a termo – são similares aos futuros, a única diferença é que eles são negociados no mercado de balcão (OTC). Quando um contrato forward é criado, o comprador e o vendedor podem personalizar os termos, duração e processo de liquidação dos derivativos. Por serem negociados via OTC, os contratos forwards possuem riscos maiores de contraparte, tanto para compradores, quanto para vendedores.

O risco mais comum dessa modalidade de derivativos, é o não cumprimento com as obrigações do contrato. Se uma das partes se tornar insolvente, pode ser que a outra não tenha recursos para cobrir, perdendo assim, o valor de sua posição. Uma vez acertado, as partes em um contrato forward podem compensar suas posições com outras contrapartes, o que na prática, pode potencializar os riscos à medida que mais traders se envolvem nesse mesmo contrato.

Contratos de Opções

Embora as opções também sejam similares aos Futuros – em que ambas as partes são obrigadas a liquidarem o contrato no vencimento – uma opção é um tipo de derivativo que dá a seu comprador o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um contrato a um preço pré-fixado. O direito de comprar o ativo subjacente é conhecido como uma opção de “call” enquanto que o direito de vender é conhecido como uma opção de “put”.

  • Na opção de call (compra), o comprador tem o direito de comprar um ativo subjacente a um preço determinado durante a celebração do contrato.
  • Enquanto na opção de put (venda), o comprador tem o direito, mas não a obrigação, de vender um ativo subjacente a um preço determinado durante a celebração do contrato.

Em ambs os contratos de opções, o comprador tem a opção de liquidar os contratos no período de expiração ou antes dele. Portanto, qualquer pessoa negociando contratos de opções tem a escolha de tomar qualquer uma das posições, seja na opção de venda ou na opção de compra.

Contratos Perpetual Swaps

Os perpetuals swaps são uma nova modalidade de derivativos de criptomoedas. Ao contrário dos mercados futuros e de opções, os perpetuals swaps não expiram e não têm uma data de liquidação, o que significa que você pode manter sua posição para sempre. Os swaps permitem comprar ou vender o ativo subjacente com algumas vantagens:

  • Não há data de vencimento para sua posição, ou seja, você pode mantê-la pelo tempo que quiser.
  • O ativo subjacente em si, nunca é negociado (o que significa que não há questões de custódia).
  • O preço do swap acompanha de perto o preço do ativo subjacente.

Para manter as posições abertas por tempo indeterminado, os traders precisam manter uma quantidade mínima de BTC para a margem. Outro ponto importate a ser considerado nos contratos swaps, é a taxa de financiamento. Este é um mecanismo único que ajuda a amarrar o preço do contrato perpétuo ao do Bitcoin.

Exchanges de derivativos de criptomoedas

O primeiro passo para os investidores que desejam negociar derivativos de criptomoedas é criar uma conta em uma Exchange que possua essa modalidade de negociação. Cada exchange de criptomoedas possui seu próprio cálculo de índice, limites de alavancagem e regras para margem isolada.

Faça a comparação entre os principais serviços oferecidos, como o atendimento, pares de negociação, margem, taxas e limites de saque. Lembre-se de que a reputação também é importante. A princípio, essas informações podem parecer irrelevantes, entretanto, elas podem fazer toda a diferença nos resultados finais.

Recentemente, o total de contratos futuros em aberto aumentou de US$ 19 bilhões para mais de US$ 41 bilhões em três meses. Enquanto isso, o volume diário negociado ultrapassou US$ 120 bilhões, superando os US$ 107 bilhões de volume de ouro que são negociados diariamente. Atualmente, a Binance Futures detêm 19% do market share de negociação de derivativos de criptomoedas, seguidos pela Bybit, com 13% e da CME, com 12%.

Juros em aberto: Futuros de Bitcoin (fonte: bybit)
Juros em aberto: Futuros de Bitcoin (fonte: bybit)

Algumas exchanges permitem que os clientes usem alavancagem de até 100x, embora isso possa não representar um risco geral, visto que mecanismos de liquidação e fundos de seguro estão disponíveis para essas situações. Os pedidos de USDT são geralmente denominados em termos de BTC. Enquanto isso, os books de pedidos de perpetuals swaps são exibidos em contratos, que podem valer US$ 1 ou US$ 100, dependendo da Exchange.

Pronto para negociar?

Agora que você já sabe tudo sobre os derivativos de criptomoedas e o quanto essa modalidade de trading está ganhando cada vez mais adeptos, é importante que você utilize as informações a seu favor e se aprofunde cada vez mais em sua jornada pela educação financeira, sempre aprimorando estratégias e mantendo o gerenciamento de risco.

Conheça o Vector

Se você gostou desse artigo e quer negociar criptomoedas nas principais exchanges do mundo, crie sua conta no Vector Pro e tenha à disposição as ferramentas mais avançadas de trading e análise do criptomercado.