5 indicadores mais usados para operar criptomoedas
5 indicadores mais usados para operar criptomoedas

5 indicadores técnicos mais usados para operar criptomoedas

Indicadores técnicos ajudam a entender os melhores pontos de compra e venda, trazendo tranquilidade para o trading

Os indicadores técnicos são um dos recursos mais usados na interpretação de um determinado mercado. São úteis para o trader em muitos ativos: tradicionalmente, são usados para o mercado de ações, futuros, Forex… e também para o mercado de criptomoedas.

O motivo é simples: os indicadores técnicos ajudam a entender os melhores pontos de compra e venda, trazendo tranquilidade para o trading. Mas saiba que existem indicadores preferidos pelos traders profissionais! Nesse artigo, trazemos 5 indicadores mais usados para operar criptomoedas! Siga abaixo.

Indicadores técnicos: entendendo a base

Indicadores técnicos são, basicamente, fórmulas matemáticas criadas por traders que são referência em algum mercado, mas afinal, por quê são referência? Porque ajudaram, em algum momento, a entender os porquês do mercado: motivos de alta, baixa e consolidação. 

Há diversos tipos de indicadores: osciladores, rastreadores, de volume, entre outros. Entender o que mostra cada indicador é um excelente modo de compreender o trading. Siga acompanhando para descobrir os principais indicadores para trading em criptomoedas.

Média Móvel

A média móvel é certamente o indicador mais clássico do mercado. A sua facilidade de uso e interpretação fez com que esse indicador permanecesse ao longo do tempo como um dos preferidos dos traders.

A média móvel, resumidamente, calcula uma média de preço de um ativo com base em seus períodos anteriores, por exemplo: uma média móvel de 21 períodos, calcula o preço médio desses 21 períodos. Se o período for 21 dias, é média de preço desses 21 dias. Se for um gráfico de 5 minutos, toma como base 21 candles de 5 minutos como base para formar o preço médio.

E porquê a média móvel é tão útil para o mercado? Se sabemos o preço médio de um ativo, podemos analisar, pela inclinação da curva, os melhores preços para compra e venda após a identificação da tendência do mercado.

Sabemos que uma determinada criptomoeda, por melhor e mais inovador que seja o seu projeto, nunca vai subir de forma indefinida para cima. Terão subidas com correções (retornos a um ponto abaixo) e depois segue subindo. Qualquer ativo é assim. Dessa maneira, a média móvel facilita entender que os melhores preços de compra em uma correção de uma tendência de alta.

Como usar as médias?

Se uma criptomoeda está em tendência (topos e fundos ascendentes), ao utilizar uma média de preço, é possível realizar uma compra e um preço baixo e realizar uma venda a um preço alto.

Um dos maiores erros dos traders no mercado de criptomoedas é realizar compras em topos e vendas em fundos. Isso é um erro crucial no longo prazo. É importante reforçar: no trading, saber quando comprar e vender é fundamental. Por melhor que seja a criptomoeda em termos de fundamentos ou melhor que seja seu projeto, no trading identificar os melhores preços no momento da operação é o ponto-chave.

Dessa maneira, se o mercado está em alta, você vai perceber que as médias tendem a se inclinar para cima. E nos retornos às médias (uma estratégia clássica), há oportunidade de operar a favor da tendência.

Um dúvida pode aparecer: “qual o melhor período da média?”. A resposta está no tópico abaixo.

Usar médias longas ou curtas?

Uma grande dúvida dos traders é qual média utilizar. A resposta é simples: depende. Isso depende do gráfico que você está acompanhando (timeframes), criptoativo analisado, busca por alvos maiores ou menores, dentre outros fatores.

Avalie esses pontos:

  • Una o gráfico que você está acompanhando com seus objetivo de ganho e perda: Se você, dentro do dia, busca operações mais alongadas, é interessantes utilizar um gráfico de timeframe menor e média maior.
  • Usar médias lentas facilita para operacionais mais alongados, com ganho e perda maiores. Usar médias mais curtas tende a encurtar seus ganhos e consequentemente suas possíveis perdas.
  • Teste na prática: A melhor prática é o teste. Entenda na prática como as médias se comportam no criptoativo que você deseja acompanhar.

Veja algumas periodicidades clássicas que você pode utilizar: 

  • Médias rápidas: 7, 9 e 21 e 34 períodos.
  • Médias lentas: 72, 100, 200 períodos.

E quando o mercado está consolidado?

O uso tradicional das médias móveis, quando se fala em aproveitar operações, é por meio de tendências de alta ou de baixa.

Em consolidações, a princípio você pode aproveitar o mercado, mas tentando buscar outros meios operacionais.

No caso da média, você perceberá que quando o preço de determinada criptomoeda permanecer dentro de uma faixa (sem superar essa faixa nem pra cima, nem para baixo), de tal forma o preço tende a passar (cruzar) a média diversas vezes. Quando isso ocorre, sem rompimentos de topos e fundos, tome cuidado ao utilizar a média como referência de compra ou venda.

Um outro indicador ajuda a entender o trading em consolidações: Bandas de Bollinger

Bandas de Bollinger

As bandas de bollinger é um dos indicadores técnicos da categoria dos osciladores. É um indicador de volatilidade: por meio das Bandas de Bollinger, identificamos qual a volatilidade média do mercado. Em um mercado de criptomoedas, volatilidade é o que não falta. Porém, mais que isso, as Bandas de Bollinger ajudam a entender como atuar na consolidação.

Como você acompanhou no tópico anterior, a consolidação é quando o preço de um ativo está dentro de uma faixa. Assim, não há rompimentos para cima, nem para baixo. Mas como as Bandas de Bollinger ajudam nesse contexto?

Mesmo em uma consolidação, as máximas e mínimas do preço de um ativo são irregulares. Assim, uma coisa é certa: não faz sentido comprar em topos e vender em fundos, se for para operar que sejam compras na parte inferior da consolidação e vendas na parte superior da consolidação.

Mas qual o ponto de entrada? As Bandas de Bollinger ajudam a entender. Quando o mercado supera uma consolidação e não continua o movimento, ele tende a voltar. Quando ocorre esses “falsos rompimentos” normalmente há uma superação da banda. Na prática a soma entre mercado consolidado e Bandas de Bollinger, mostra que há maior probabilidade do mercado retornar e que os pontos extremos são bons para compra e venda.

Assim, é possível identificar partes superiores do gráfico que a banda superior foi rompida, e quando você percebe que o movimento perdeu força, é hora de operar contra ele.

IFR

O IFR é outro indicador técnico muito utilizados pelos traders. A sua facilidade de interpretação leva a uma análise rápida do contexto do mercado. De modo parecido ao das Bandas de Bollinger, o IFR também é um oscilador. Isso significa que ele é utilizado para identificar a volatilidade do mercado.

Porém, há uma particularidade em relação ao IFR. Em momentos de tendência altista ou baixista, ele apresenta grandes oportunidades para o trader.

Quando uma criptomoeda está em alta, a tendência é o preço subir, com topos e fundos ascendentes. Foi comentado que o trader deve evitar operar comprando em topos e vendendo em fundos. Mas o IFR confirma ainda mais essa afirmação: ele mostra quando movimento está esticado, mesmo em tendência.

Entende-se que caso o IFR esteja abaixo de 30, o mercado está sobrecomprado. Se está acima de 70, está sobrevendido. Assim, se há tendência de alta e você está na dúvida se é o momento de comprar ou não, acompanhe o IFR! Ele mostra se o movimento, naquele momento em questão, está em exaustão.

Assim, se há exaustão, o correto é aguardar o IFR identificar uma volta do preço para patamares abaixo de 70 em uma tendência de alta para realizar a compra.

Os indicadores fazem você entender o contexto de mercado. Outro indicador de alta relevância é o volume.

Volume

O volume é um dos indicadores técnicos fundamentais para a análise de qualquer mercado. Esse indicador mostra o interesse por parte dos participantes do mercado. Se há interesse, há negociação e certamente há possibilidade de ter movimentos fortes em determinada criptomoeda. Com baixo volume, é difícil de interpretar o movimento de certa criptomoeda, pois é a liquidez que traz segurança para as operações.

No caso do volume há alguns modos de utilizá-lo. É sempre importante interpretar o contexto do mercado para operar, e quando o mercado está em regiões de consolidação, a saída da consolidação, normalmente vem junto de um movimento de forte volume.

Entendendo a influência do volume

Por que isso ocorre? Vamos dar um exemplo com uma tendência de alta. Quando há uma saída de consolidação para início de tendência de alta o comportamento dos players é: quem deseja comprar, acredita que aquele momento é importante, é o momento inicial da tendência. Por outro lado, quem deseja vender, deve segurar esse “ímpeto” dos compradores.

É a briga do mercado bull x bear. Se nesse caso os “touros” ganham e o mercado sobe, a tendência é que os “ursos” comecem a stopar. Nesse caso, aumenta o volume. É nesse ponto que você deve entender a dinâmica do mercado.

Enquanto os compradores querem seguir comprando, entendendo que ali há oportunidade de alta, os vendedores precisam sair de suas posições. Ou seja, os vendedores precisam comprar. Isso “empurra” o preço de uma criptomoeda para cima.

Então, sempre analise o volume nas operações! Quando perceber o início de um movimento, o volume é um confirmador de que há realmente participantes interessados em comprar ou vender naquele preço. Se não há volume, o movimento tende a ser mais fraco.

Acumulado de Agressão

Uma das grandes vantagens de plataformas profissionais para operações em criptomoedas são indicadores que normalmente não eram encontrados nesse mercados.

Um desses indicadores é o acumulado de agressão. O acumulado de agressão permite o acompanhamento do saldo de agressão entre compradores e vendedores. Se o saldo é positivo, isso significa que os compradores estão vencendo a briga contra os vendedores. Se o saldo é negativo, os vendedores estão vencendo a briga.

O grande ponto do acumulado de agressão é entender que é de fato a agressão que move o mercado: compras a preços cada vez maiores empurram uma criptomoeda para cima. Vendas a preços cada vez menores, empurram uma criptomoeda pra baixo.

Assim, se o saldo acumulado está aumentando, significa que, comparando as duas agressões, a tendência é que o mercado suba. Ou seja: as agressões de compras são maiores que as agressões de venda. 

Esses indicador é um excelente validado de tendências: acompanhe-o e veja se a agressão tem seguido o movimento do preço. Assim, você pode buscar alvos mais longos no trading.

Lembrando que nenhum indicador acerta sempre. Os indicadores técnicos servem para interpretar e auxiliar o trader nas suas decisões do mercado. Estude e veja quais desses indicadores fazem mais sentido estarem em seu operacional.

Siga acompanhando o blog e leia mais sobre os principais gráficos utilizados por traders de criptomoedas!